www.grupogingadocapoeira.com (Brasil - Brasilia)
 

Malandragem

 
 

Malandragem só sai daqui
Quando essa roda acabar
Se meu mestre disser iê
Ou se cavalaria tocar
Capoeira antiga arte
Foi o negro inventando
Me diga quem é brasileiro
Que não tem um pouco de malandro
E malandragem...

O malandro, malandro   (Coro)

Gingado capoeira

O malandro, malandro  (coro)

Na Bahia

O malandro, malandro  (Coro)

Na ladeira

O malandro, malandro  (coro)

Malandragem

O malandro, malandro  (coro)

Na cultura

O malandro, malandro  (coro)

Negro canta

O malandro, malandro  (coco)

Joga e pula

O malandro, malandro  (coro)

Finge que vai mas não vai
Bicho vem e eu me faço de morto
Mas se a coisa apertar
Pra Deus eu peço socorro
Entro e saio sem me machucar
Subo e deço sem escorregar
Vou louvando o criador da mandinga
O malandro que inventou a ginga
Malandragem

O malandro, malandro (coro)

Capoeira

O malandro, malandro (coro)

Na Bahia

O malandro, malandro (coro)

Na ladeira

O malandro, malandro (coro)

Malandragem

O malandro, malandro (coro)

Na cultura

O malandro, malandro (coro)

Negro canta

O malandro, malandro (coro)

Joga e pula

O malandro, malandro (coro)

O sol faz o chao esquentar
Calma moça chuva vem esfriar
A expressao do rosto da menina
Ao saber que essa é minha siná ôiô
Bato forte e ñ devagar
Cuidado quando se levantar
Berimbau já vez tua cantiga
Coraçao me impulsa pra cima
Malandragem

 

Autor/compositor: Hugo Darques (Mestrando Capú)



_________________________________________________________________________________________________




Mariá


Um metro de pano e pouco
Pra trez moeda no bolso
Vou dizer pra maria
Ela sim sabeu meu gosto

Maria me prometeu
Fazer meu abada

Maria me prometeu  (Coro)

Se suja ela vai lavar

Maria me prometeu  (coro)

Se rasga vai costurar

Maria me prometeu  (Coro)

De fazer meu abada

Maria me prometeu  (Coro)

Vai na roda pra olhar

Maria me prometeu  (Coro)

Maria tava cansada
Mas sem ruga no rosto
Tem prazer de costurar
Nao mete a mao no meu bolso

Maria me prmeteu
Fazer meu abada

Maria me prometeu  (Coro)

Foi na roda pra olhar

Maria me prometeu  (Coro)

De fazer meu muncuzar

Maria me prometeu  (Coro)

Foi na praça pra olhar

Maria me prometeu  (Coro)

De fazer meu abada

Maria me prometeu  (coro)




Autor/Compositor: Hugo Darques (Mestrando Capú)

 

 

_________________________________________________________________________________________________
 

 


O xodó da minha vida


Quando ela foi embora
Abalo o meu coraçao
Me levante da rasteira
Quem gosta de viver na solidao.

O xodó da minha vida é a capoeira ai a a

Deixa eu jogar  (coro)

O xôdo da minha vida é a capoeira

Deixa eu jogar  (coro)

O viola veiu revirando
O médio acompanha
O gunga veiu a consolar
Deixa eu jogar

O xodó da minha vida é a capoeira ai a a

Deixa eu jogar  (coro)

O xodó da vida é aa capoeira  ai a a

Deixa eu jogar  (coro)

Ie ie e ie eiaaa

Deixa eu jogar  (coro)

La la la e la la e la

Deixa eu jogar  (coro)



Autor/Compositor: Hugo Darques (Mestrando Capú)


 

_________________________________________________________________________________________________

 



Filhos Mestiço


Misturou filho de negro e plebeus
O que viram dos olhos de Deus
Meu brasil de cafuzo caboclo
A fusao de todas as raças

Era luta de matar
Mas era um povo de pais 
  
(coro)
Era lutar de matar
Mas era um povo de paz 

Era luta de matar
Mas era um povo de paz

(coro)
Era lua de matar
Mas era um povo de paz 

Ate branco entrou nessa mistura
Por que ñ aquentava ver mulata
Rapaduro e doce mas é dura
O pior do que tiro é facada aia

Era luta de matar
Mas era um povo de paz
Capoeira

(coro)
Era luta de matar
Mas era um povo de paz 

Era luta de matar
Mas era um povo de paz

(coro)
Era luta de matar
Masera um povo de paz

Descobriram america do sul
Visitante de todos continente
Toda hora chegava mais um
Quem morria aqui era indígente aia

Era luta de matar
Mas era um povo de paz
Capoeira

(coro)
Era luta de matar
Mas era um povo de paz

Era lutar de matar
Mas era um povo de paz

(coro)
Era luta de matar
Mas era um povo de paz 

Mistiço da cultura brasileira
O tempo lavo o chao da ladeira
Misturando com sangue da capoeira
E o chao da ladeira

Era luta de matar
Mas era um povo de paz

(coro)
Era luta de matar
Mas era um povo de paz 

Era luta de matar
Mas era um povo de paz

(coro)
Era luta de matar
Mas era um povo de paz 

Era luta de matar
Mas era um povo de paz
Capoeira



Autor/Compositor: Hugo Darques (Mestrando Capú)

 

 

_________________________________________________________________________________________________



 

O meu mestre quer ver você balançar


Luta que era o maculêle,,
Virou dança para nao morrer,,
Capoeira cruzeiro cerrado
Roda aberta pra quem quer jogar
O meu mestre quer ver você balançar
O meu metre que ver

(coro)

O meu mestre que ver você balançar 

O meu mestre que ver

(coro)
O meu mestre que ver você balançar 

Angola angoleiro
Benguela e regional
Chamada para um camará,,

(coro)
Angola angoleiro
    Benguela e regional     
 Chamada para um camará,,

  Chamada para um camarada

(coro)
    Chamada para um camarada  

  Chamada para um camarada

(coro)
     Chamada para um camarada  


Autor/Compositor: Hugo Darques (Mestrando Capú)

 

 

______________________________________________________________________________________


 

Quem vem lá


Êe morena mandou me chamar
Si eu ñ for sei que vai chorar
tâ pedindo
tâ querendo
pra menina vou ter que lhe dar
no caminho algo me vez parar
me arrepiei era capoeira
fui chegando
fui olhando
logo todos foram comentar
vem manhoso ta de capa
o chapéu e de couro é de napa
bem arisco
com seu lenço
a navalha no jogo sao bento
Quem vem lá
quem é

(coro)
Quem vem lá
quem é         


Quem vem lá
quem é

(coro)

Quem vem lá
quem é 

êê ieie ieie ieie êêa

(coro)
ieie ieie ieie êêa 


Autor/Compositor: Hugo Darques (Mestrando Capú)




______________________________________________________________________________________





O Brasil mostra o seu gingado

Ao pé do berimbau 
Eu faço a saudaçao
Antes de sair pro jogo
Mestre de a permissao
O Brasil mostra o seu gingado

Axé dende (coro)

Gingado é axé dende

Axé dende  (coro)

Axé dende axé dende

Axé dende (coro)

Cerrado e na bahia
Roda em nitéroi
Preto cor negro e raça
Ninguem cala a nossa voz
O brasil mostra o seu gingado

Axé dende (coro)

Axé dende axé dende

Axé dende (coro)

Cerrado é axé dende

Axé dende (coro)

Escravo trouxe a paz
Mas antes foi a guerra
É meu Deus no céu
Pastinha e bimba terra
O Brasil mostra o seu gingado

Axé dende (coro)

Axé dende axé dende

Axé dende (coro)

Gingado é axé dende aiai

Axé dende (coro)

Quem mora no Brasil
Sabe que ñ é mentira
Cultura brasileira
Maracatu samba catira
O Brasil mostra seu gingado

Axé dende (coro)

Mestre pablo é axé dende

Axé dende (coro)

Axé dende axé dende

Cerrado é axé dende

Axé dende (coro)

Gingado é axé dende

Axé dende (coro)

Charuto é axé dende aiai

Axé dende (coro)

Axé dende axé dende

Axé dende (coro)


Autor/Compositor: Hugo Darques (Mestrando Capú)




_________________________________________________________________________________________________



 

Lamento


Deixa eu cantar
Ao som deste agôgo
Ñ vou mais me lamentar
Oiaia com aperca deste amo
Tambem ñ vou mais falar
De quem trouxe tanta dor
Lindos olhos sao de mel
Me perdoa o chororo
Capoeira é quem me guia
Ela que me faz pensar
Vou junto com a melodia
Oiaia até quando Deus mandar

Eu canto
eu danço conforme o tom
Seu bimba fez dindindon
E a luta com som..
Graças a Deus...

(coro)
Eu canto
Eu danço conforme o tom
Seu bimba fez dindindon
E a luta com som


Viva meu mestre

(coro)
Eu canto
Eu danço conforme o tom
Seu bimba fez dindindon
E a luta com som

Graças a Deus...

(coro)


Autor/Compositor: Hugo Darques ( Mestrando Capú)




________________________________________________________________________________________________
 


 

O que diria o meu mestre


Ñ sei se ele esta morte ou se esta ali parado
Secaram o chao da praça jogando estava molhado
Saroba perde o dente de ouro ou de marfim
Explica mandingueiro esse linguajar para mim
Capoeira e mata boa saroba mata ruim
E como fruto podri que surgio no meu canteiro
A vitoria do boi em cima do boiadeiro
A conquista do fraco em cima do mais forte
O sorriso da vida quando se vence a morte
Perde pelo azar mas quando ganha é pela sorte
A lua quando vem o sol vai descansar
É coisa do além ser um capoeira

Nana ê nana ê na
o que diria zumbi

Nana ê nana ê na (coro)

Se vise capoeira assim

Nana ê nana ê na (coro)

O que diria seu pastinha

Nana ê nana ê na (coro)

Se capoeira fosse assim

Nana ê nana ê na (coro)

O que diria o meu mestre

Nana ê nana ê na (coro)

Se vise capoeira assim

Fintei com a direita e bate do mesmo lado
A expressao boa do rosto mas por dentro tá zangado
O seu merecimento e conforme voce ache
Ñ venha me enganar com esse jogo de cumadre
Meu mestre quando fala sempre ele tem razao
Leve como uma pena uma bala de canhao
E se for na selva capoeira é um leao
É fogo é agua e tambem uma cançao

Nana é nana é na
O que diria mestre bimba

Nana ê nana ê na (coro)

Se vise capoeira assim

Nana ê nana ê na (coro)

O que diria o meu mestre

Nana ê nana ê na (coro)

Se capoeira ñ fosse assim



Autor/Compositor: Hugo Darques (Mestrando:Capú)




 

" Arte y Lucha "
" Nada sin una buena raiz podrá dar buenas semillas, de las que nacerán buenos frutos."
" Nada sem uma boa raiz podi ter boas sementes, delas que naceram bons frutos."
" Res sense una bona arrel podrá donar bones llavos, de les que naixeran bons fruits"
Hoy habia 2 visitantes (18 clics a subpáginas) ¡Aqui en esta página!
=> ¿Desea una página web gratis? Pues, haz clic aquí! <=